Estaleiro Mauá vai construir mais oito navios na Ponta da Areia

Imprimir

 

Investimentos do Programa de Modernização e Expansão da Frota serão de R$ 1,4 bilhão, dentro dos R$ 11,2 bilhões previstos para a construção de 49 navios e 20 comboios

 

O navio de produtos José Alencar partiu para sua viagem inaugural ontem. Durante a cerimônia que marcou o começo das operações, o presidente da Transpetro, Sergio Machado, deu sinal verde para o início da construção de mais oito navios de produtos no Estaleiro Mauá, na Ponta da Areia, em Niterói. O novo lote demandará investimentos de R$ 1,4 bilhão, dentro dos R$ 11,2 bilhões previstos para a construção de 49 navios e 20 comboios hidroviários do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef).

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, participou da cerimônia e destacou que, em 2005, o Promef foi lançado em Niterói pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Muitos não acreditavam mas o programa de retomada da indústria naval deu certo e hoje estamos celebrando essa grande conquista. É um dia todo especial para o Brasil, para o Estado do Rio e Niterói. A indústria naval tem um papel fundamental no desenvolvimento econômico de nossa cidade e parabenizo não só a Transpetro, mas também aos trabalhadores, que demonstraram sua capacidade inquestionável de trabalho e aos marítimos”, disse.

Filho de Alencar, Josué Gomes, ficou bastante emocionado e agradeceu as homenagens ao pai.

“É uma grande emoção que me toma neste momento. Além das homenagens, fico feliz em ver que este programa com esses navios lançados poderá levar o nosso país a ocupar o lugar que ele merece no cenário internacional. No Brasil, não há lugar para pessimismo e foi com otimismo e perseverança que meu pai contribuiu para que o Brasil tivesse mais progresso e reduzisse as desigualdades sociais”, afirma.

O presidente da Transpetro, Sérgio Machado, afirmou que o lançamento do navio José Alencar é um momento histórico e que a Transpetro continuará com os investimentos. O Promef já alcançou duas de suas três metas: construir navios no Brasil e com índice de nacionalização mínimo de 65%. O próximo objetivo é atingir a competividade internacional.

Programa – O José Alencar é a sexta embarcação do Programa a entrar em operação em um prazo de dois anos e finaliza o primeiro lote de encomendas pela Transpetro a estaleiros brasileiros dentro do Promef. Já foram entregues sete navios e outros 12 se encontram em construção. Em 2014, o Promef deverá bater um novo recorde: serão sete navios a entrar em operação.

Em sua primeira viagem, o José Alencar saiu do Estaleiro Mauá, em Niterói, onde foi construído, para ser carregado com nafta do Terminal da Ilha D’Água, no Rio de Janeiro. De lá, seguirá rumo ao terminal de São Sebastião, em São Paulo, onde será descarregado.

“A indústria naval brasileira vive um novo momento. Deixou de ser um sonho e hoje está consolidada. A entrega do primeiro lote de encomendas do Promef é uma prova disso. Agora, o grande foco é a gestão, a qualidade para que a produtividade seja maior e melhor, em busca da competitividade internacional. É nisso que estamos trabalhando”, afirma Sérgio Machado.

O FLUMINENSE