Transpetro quer fugir da responsabilidade

Imprimir
PDF

A 10ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho agendou audiência para julgar o Recurso Ordinário da Ação Coletiva nº 0011078-98.2014.5.01.0243 que busca a liberação dos R$ 18 milhões arrestados dos Estaleiros Eisa Petro Um/Mauá e a manutenção da condenação da Transpetro para o próximo dia 23 de agosto, às 10h, no TRT, no centro do Rio.

Nesse julgamento, o principal fato é conseguir manter a Transpetro com devedora solidária das verbas rescisórias dos trabalhadores. A estatal tenta argumentar que não pode figurar como parte/réu. Além de pedir uma solução imediata para a situação dos ex-funcionários, o Sindicato vai também defender a manutenção da Transpetro no processo.

Isso pode significar muito no futuro quando o Tribunal der a ação como transitada em julgado e publicar a decisão.

O Sindicato espera que os desembargadores se sensibilizem com a situação caótica vivida pelos ex-funcionários do Estaleiro que não receberam suas verbas rescisórias.

LEMBRETE: Essa ação não tem nada a ver com a o processo de Recuperação Judicial da empresa.