Sindicato se reúne com a KPMG, empresa da recuperação judicial do Eisa Petro Um

Imprimir
PDF

 

Mantendo a transparência junto aos metalúrgicos, o Sindicato vem informar que em reunião dos diretores do Sindicato dos Metalúrgicos de Niterói e Itaboraí, Bittencourt, Secretário Geral, e Rones Corrêa, Secretário Jurídico, com representantes da empresa KPMG, responsável pela condução da Recuperação Judicial do Estaleiro Eisa Petro Um, representantes dos estaleiros e do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio, nesta quinta-feira (29/6), a empresa informou que o prosseguimento da recuperação depende da retomada das obras pelas empresas que já possuem contratos com os Estaleiros.

 

Para isso, a própria KPMG já iniciou uma conversa com a Marinha para retomar as obras no Eisa Ilha. Porém, a Marinha respondeu, inicialmente, que não poderia voltar com as obras por conta do processo de recuperação judicial. A KPMG continua em busca pelos entendimentos jurídicos. Já com a Log In, a KPMG tenta uma reunião com conselho de administração da empresa para buscar uma saída para retomar os trabalhos.

Já sobre a Transpetro, a KPMG informou que vem encontrando dificuldades para iniciar uma negociação para discutir a retomada da construção dos navios.

Os diretores do Sindicato dos Metalúrgicos de Niterói questionaram a empresa sobre quais as garantias seriam dadas aos trabalhadores que com as retomadas das obras os estaleiros garantiriam o pagamento dos salários, o tíquete alimentação, os benefícios da Convenção Coletiva já conquistados, o pagamento das prestações da dívida trabalhista da recuperação judicial e de um plano de saúde decente.

A KPMG não quis se comprometer. Porém, muitas informações a respeito dos ex-funcionários não vinham sendo passadas para a empresa pela direção dos estaleiros.

O Sindicato de Niterói questionou ainda qual foi a base utilizada pelos Estaleiros Eisa Petro Um e Eisa ilha para apresentaram há seis meses uma planilha de pagamento. A KPMG afirmou que não poderia responder sobre as planilhas antigas dos estaleiros.

A KPMG, nova administradora da Recuperação Judicial do Estaleiro Eisa Petro adiou a Assembleia de Recuperação Judicial no início do mês de junho.

O Sindicato também repudia as atitudes dos grandes fornecedores dos estaleiros que foram os responsáveis por adiar por duas vezes as assembleias gerais de credores por pura ganância e disputa de poder. Essas grandes empresas não têm interesse em fazer a recuperação judicial e, sem escrúpulos, prejudicam a massa trabalhadora.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Niterói exigiu que uma nova data para assembleia geral de credores o mais rápido possível. No entanto, a KPMG afirmou que não poderia agendar uma nova assembleia geral por não possuir dados concretos sobre um novo plano de pagamentos.

Também por exigência do Sindicato dos Metalúrgicos de Niterói, uma nova reunião entre a KPMG, os estaleiros e os sindicatos deverá acontecer no início do mês de setembro. Essa data poderá ser antecipada caso a KPMG tenha novidades sobre as negociações.

A KPMG também disponibilzou um site para informações aos trabalhadores: http://www.kpmg.com.br/recuperacaojudicial/eisa.html

 

Fonte: STIMMMENI